MODO DE VOLAR

And He was asking him, "What is your name?" And he said to Him, "My name is Multitude; for we are many."

Ela

«Ela usa saias. Ela usa brincos e colares todos os dias. (…) Toca-te absolutamente segura que gostas de ser tocada por ela, sem medo algum de se enganar. Olha-te sem vergonha, e não desvia o olhar porque nunca se sente ameaçada.»


Elaa
Ela usa saias. Ela usa brincos e colares todos os dias. É alta, magra e move-se com uma delicadeza ingénua e algo atabalhoada. Ela é dona do mundo, centro de todas as atenções em qualquer lugar onde está. Toda a gente pára para a ouvir, toda a gente se cala quando ela chega. Toda a gente a quer tocar, deixar-se contagiar por tudo o que ela representa.

Ela tem o poder para te fazer sentir poderosa, (quase) como ela, para te pôr bem disposta, para te fazer sentir bem contigo. Absorve imenso de ti, consome-te, mas também te dá tanto, tanto, tanto, que custa sair do pé dela. Quando te afastas dela estás num sítio pior, que só é sustentável por saberes que vais estar com ela de novo em breve.

Ela dança, canta, escreve-te, lê-te. Ela cozinha-te, aconchega-te, toma conta de ti. Ela deixa que lhe ensines coisas, quer muito aprender contigo. Quer sorver o mundo em cada inspiração sempre mais profunda do que a anterior, para que este entre cada vez mais fundo dentro de si.

Ela pede-te pouco e não te exige nada, além do reconhecimento da sua presença, que lhe dás sem te dar conta. Ela acredita em ti, em tudo o que tens para o mundo. Ela faz-te querer dar tudo ao mundo, dá-te vontade de ser cada vez mais, de fazer cada vez mais.

Chamam-lhe paneleiro, maricas, palhaço. Acusam-na de ser um snob auto-centrado, com sede de protagonismo, um prepotente académico que não conhece o mundo. Um individualista, dominador de flirts, que dorme com toda a gente. Eles não sabem nada dela. Não sabem do esforço permanente de resistência dela. Recusam ver o que lhes pode dar, ensinar, em função do que acham que lhes quer tirar. As suas inseguranças ampliam-se na presença dela. A ameaça que ela representa confunde-os, que identificam causas e objectivos distantes dos dela. Ela não é analisável por um olhar normativo, encerrado em cristalizações inquestionáveis. Ela é tão mais do que eles imaginam…

Ela usa saiaElas. Ela usa brincos e colares todos os dias. É alta, magra e difícil de passar despercebida. Ocupa espaço, é ruidosa, é perturbadora. Tem uma energia que contagia e sabe disso. Toca-te absolutamente segura que gostas de ser tocada por ela, sem medo algum de se enganar. Olha-te sem vergonha, e não desvia o olhar porque nunca se sente ameaçada. Ela faz-te querer viver com(o) ela.

Advertisements

3 comments on “Ela

  1. Mari Santa
    06/10/2015

    que lindeza

    Like

  2. Pingback: O Monstro Maricas | MODO DE VOLAR

  3. Pingback: Bach y la torrija solitaria o La vergüenza, la vulnerabilidad y el miedo. – desde mi territorio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 06/10/2015 by in PT and tagged , , .
%d bloggers like this: